UFS

O Grupo de Trabalho, constituído pela Portaria nº 576/2020/GR, para apresentar a proposta de retomada emergencial das aulas na graduação da UFS concluiu suas atividades na última sexta-feira, 07. Na ocasião, a equipe da Pró-Reitoria de Graduação apresentou as modificações realizadas no plano de retomada, todas motivadas pelas alterações sugeridas pelo próprio grupo na minuta de resolução que regulará as atividades da graduação para o retorno às aulas de forma remota.

Universidade Federal de Sergipe / Divulgação

O GT contou ao todo com 40 participantes, entre técnicos das pró-reitorias de Graduação (Prograd), de Assuntos Estudantis (Proest) e de Extensão (Proex), das superintendências de Infraestrutura (InfraUFS) e de Tecnologia da Informação (STI), e da Diretoria de Editoração, Comunicação Institucional e Produção Audiovisual (Decav). Representantes de todos os centros e campi da instituição também participaram do grupo, que analisou a proposta inicial produzida e estabeleceu um conjunto de mudanças consideradas necessárias.

“Foram dias de trabalho intenso para os integrantes, mas tudo caminhou dentro da normalidade. Perspectivas diferenciadas e discordâncias quanto aos encaminhamentos apareceram e eram esperadas. Graças às recomendações do grupo, melhoramos a proposta. Estamos satisfeitos com o resultado alcançado”, afirma Dilton Maynard, pró-reitor de Graduação.

Para o vice-reitor da UFS, Valter Joviniano, as contribuições dos subgrupos, antes mesmo do GT principal, já aperfeiçoaram o plano inicial. “Agora, com a avaliação de forma ampliada e, inclusive, com as propostas vindas dos centros, teremos um texto bem estruturado e que chega ao Conepe tendo sido apreciado amplamente pela comunidade”.

As reuniões ocorreram virtualmente e o GT também agregou aos documentos finais as contribuições enviadas pelos centros e campi, resultantes de consultas aos seus respectivos departamentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora a proposta segue para o Conselho do Ensino, da Pesquisa e da Extensão (Conepe), onde deverá ser analisada. Se for aprovada, a UFS retomará as atividades de forma remota. “Se a proposta for aprovada, iniciaremos uma série de ajustes, inclusive no Sigaa, além de dar um tempo para que os departamentos adaptem as ofertas e os docentes possam preparar os cursos. Por isso, a expectativa é que possamos dar início às atividades entre o final do mês de setembro e o início de outubro”, explica o pró-reitor de graduação.

Atuando como representante dos alunos com deficiência (PcDs) desde 2019, Enaldo Boaventura também fez parte do grupo de trabalho. “Veio a possibilidade de construir o plano e tudo que é necessário para a pessoa com deficiência ter acesso foi contemplado. Não pode mais haver o debate sobre a deficiência sem um deficiente presente e ficou evidente que a universidade nos deu esse espaço. Ter construído o plano com essa visão foi muito bom porque tudo foi bem pensado e registrado”.

“Todos os integrantes estão de parabéns. Cada contribuição foi importante para conseguir sintetizar as propostas e dar a elas uma organização que certamente permitirá um retorno às atividades da graduação de forma segura e sem maiores prejuízos aos discentes. A harmonia do grupo, com tantas pessoas, e a clareza da necessidade de darmos um retorno aos nossos alunos e alunas, foi importante para se obter tal resultado”, afirma o reitor da UFS, professor Angelo Roberto Antoniolli.

Com informações da Prograd