NE Notícias

Em operação do Ministério Público e da Polícia Federal, foi preso na manhã desta quarta-feira, 27, o prefeito de Rio Pardo (RS).

No Rio Grande do Sul, estão sendo apurados supostos desvios de R$ 15 milhões destinados à saúde.

Roberto Jeferson – Twitter / Reprodução

Estão sendo cumpridos 129 mandados em cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro. A ação apura supostos crimes de fraude à licitação, peculato, corrupção passiva, organização criminosa, ocultação de bens, crime de responsabilidade e desobediência. 

A Operação Camilo cumpre 61 mandados de busca e apreensão, 15, de prisão temporária, além de medidas judiciais de sequestro de bens móveis e imóveis, bloqueio de valores depositados em contas de investigados e empresas.

Cautelarmente, servidores serão afastados.

Fake news

Também estão sendo cumpridos mandados determinados pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Estão sendo cumpridos 29 mandados.

Um dos alvos da operação é o presidente nacional do PTB, Roberto Jeferson.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A seguir, o que disse Roberto Jeferson em entrevista à Bandeirantes:

Eles estiveram na casa da minha ex-mulher, mãe da Cristiane Brasil, de quem estou separado ha 22 anos. É tão covarde o Alexandre de Moraes que expediu busca e apreensão na casa da ex-mulher.

Outro alvo é o empresário Luciano Hang, proprietário da Havan.

O gabinete do deputado estadual Douglas Santos (SP) também foi vistoriado pela PF.

O blogueiro Alan Santos também é um dos alvos.

Outros alvos: o músico e humorista Rey Biannchi, o youtuber Enzo Leonardo Suzin Momenti e a ativista bolsonarista Sara Winter.

Reação de Sara Winter nas redes sociais:

A Polícia Federal acaba de sair da minha casa. Bateram aqui às 6h da manhã, a mando do Alexandre de Moraes. Levaram meu celular e notebook. Estou praticamente incomunicável. Moraes, seu covarde, você não vai me calar!

Não há mandados de prisão.

Deputados federais também estão sendo alvo da operaçõ.

Não há mandado de busca e apreeensão contra parlamentares estaduais e federais. Serão ouvidos pela PF.

O ministro Alexandre de Moraes determinou PF que ouça os parlamentares em 10 dias.

Deputados estaduais e federais: Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Daniel Lúcio da Silveira (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Junio do Amaral (PSL-MG), Luiz Phillipe Orleans e Bragança (PSL-SP), além dos deputados estaduais Douglas Garcia (PSL-SP) e Gil Diniz (PSL-SP).

No inquérito, estão sendo cumpridos mandados no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.