DEM Sergipe

Fachada do Edise, sede da Petrobras (RJ) – Stéferson Faria / Agência Petrobras

É com muita estranheza que me deparo com a notícia alarmante de que Sergipe terá o polo petrolífero de Carmópolis e o Tecarmo disponíveis para venda pela Petrobras. Há menos de dois anos, estive reunido com o superintendente da estatal, juntamente com Luciano Bispo, Luciano Pimentel e Albano Franco. Na ocasião, me alegrei com as promessas de investimento para o estado, inclusive sobre o início de exploração em águas profundas, previsto para este ano. Hoje temos que assistir a notícia sorrateira de que Sergipe perderá importantes postos de empregos e desenvolvimento, parece uma contradição. Lamentavelmente, também não observo manifestações da bancada federal e governo do estado.

Desde a semana passada busco informações a cerca dos trâmites para tal processo de venda. Parece que de repente toda história do campo de Carmópolis e suas concessões deixaram de ter sentido. Somente este ano a área produziu mais de 10 mil barris de petróleo por dia e 73 mil metros cúbicos de gás de janeiro até setembro. Impossível não refletir o tamanho do desenvolvimento que a chegada do campo trouxe para o estado desde o ano de 1963, quando descoberto. Pergunto-me quando haverá discussão entre a bancada federal, governo e os responsáveis por essa venda bilionária que tanto pode refletir negativamente nas contas estaduais. Ora, a venda tem cláusula que garante a atividade do Tecarmo? Do polo de Carmópolis? Existe algum plano incluso nessa articulação?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É preciso levantar esta discussão entre os representantes do povo. Abafar o andamento do processo será irreversível para história de Sergipe. Quanto ao Tecarmo, não limito minha fala apenas ao governo, existem soluções para a área a ser vendida? Teremos um novo projeto de preservação ambiental em Aracaju ou assistiremos mais uma vez um grande empreendimento surgir na Av. Melício Machado? Como engenheiro civil, político, atual presidente de um partido e acima de tudo como cidadão sergipano, me preocupo com a situação onde não se enxerga diálogo entre os representantes do povo e a estatal. O apelo é para o posicionamento daqueles que defendem os interesses de Sergipe, para que se faça valer a discussão acerca dos inúmeros benefícios trazidos pelo polo em Carmópolis e da produção do Tecarmo para este estado. Sergipe merece respeito! O povo merece resposta..