Petrobras

O início da produção de petróleo e gás no litoral sergipano pela Petrobras, no âmbito no projeto Sergipe Águas Profundas (SEAP), terá início em 2026. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (25), durante o webcast realizado pela companhia para apresentação de seu planejamento estratégico 2022-2026, destinado a investidores e agentes do setor. O projeto prevê a instalação de uma plataforma de exploração com capacidade de extração de 120 mil barris por dia, além da implantação de um sistema de escoamento de gás.

Sedetec/Divulgação

“Estamos com SEAP 1 previsto para entrar em operação em 2026. Com isso, estamos viabilizando uma nova fronteira de desenvolvimento da produção de óleo e gás. Temos um óleo de excelente qualidade, sem contaminantes. Nesse reservatório, temos lâminas d’água acima de 2.400 m, que vão provar que temos um novo desenvolvimento tecnológico para poder implantar esses projetos”, afirmou o diretor Executivo de Desenvolvimento da Produção, João Henrique Rittershaussen.

O diretor detalhou ainda questões relacionadas à contratação da Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência (FPSO) que irá operar em Sergipe. “O FPSO SEAP já está em fase de contratação. Estamos usando um novo modelo de contratação, que é o BOT (Build Operate Transfer), e o SEAP 2 está em fase de planejamento. Este primeiro óleo está fora do horizonte do planejamento estratégico, estamos com a fase de planejamento bem acelerada”, salientou.

Ainda de acordo com Rittershaussen, o projeto prevê um gasoduto próprio. “Além do sistema de produção, vamos ter no projeto SEAP um sistema de escoamento de gás com capacidade para 18 milhões m³/dia, que vai atender os sistemas SEAP 1 e 2”, pontuou.

— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE —

O diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Fernando Borges, apresentou o projeto Sergipe Águas Profundas como destaque do planejamento estratégico da companhia no contexto do pós-sal. “São ativos de excelente qualidade. Destacamos investimentos muito importantes no pós-sal, e esse plano agora também traz o projeto Sergipe Águas Profundas, incorporando dois sistemas de produção para essa área”, resumiu.

De acordo com o superintendente executivo da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Marcelo Menezes, a confirmação das operações da Petrobras em Sergipe aponta bons rumos para o estado no futuro próximo. “O início da produção em águas profundas em 2026 define um novo momento para o setor, mobilizando toda a cadeia produtiva e criando um novo cenário de desenvolvimento para o estado”, ressaltou.