NE Notícias

Analisando o processo judicial que envolve o suplente de deputado estadual Carlão Vigilante (PODEMOS), que vai a júri popular em março do ano que vem, acusado de tramar o homicídio de um doente mental, o NE NOTÍCIAS descobriu que em 15 de novembro de 2018, data da eleição, o então candidato estava preso no Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto – COPEMCAN.

Reprodução

Carlão foi detido em 04 de setembro de 2018, sendo recolhido ao COMPECAN para cumprimento da pena. Após vários recursos da defesa, o juiz da 8ª Vara Criminal de Aracaju, Alexandre Magno Oliveira Lins, em decisão do dia 30/10/2019, revogou a prisão preventiva, com a aplicação de tornozeleira eletrônica pelo prazo de 120 dias, podendo ser prorrogado por igual período.

Levando-se em consideração que essa aplicação ocorreu no dia seguinte, em 31/10/2019, Carlão ficou preso no COMPECAN por aproximadamente 1 ano e dois meses. Detalhe: em 15 de novembro de 2018, data das eleições em Sergipe, o então candidato estava detido.

Através do PODEMOS, partido comandado pela delegada Danielle Garcia, Carlão busca assumir o mandato de deputado estadual em lugar de Gracinha Garcez, alegando infidelidade partidária.

— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE —