NE Notícias

Não há casamento entre o projeto do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e de seu partido, o PDT.

Não basta, como informou NE Notícias, o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, citar seu nome como provável candidato a governador.

Na cabeça do prefeito, o presidente estadual do PDT, deputado federal Fábio Henrique, tem compromisso de apoiar a provável candidatura do senador Rogério Carvalho (PT) ao Governo do Estado.

Valdevan Noventa e Edvaldo Nogueira

Recentemente, Carlos tupi esteve em Aracaju, onde se reuniu com Edvaldo e Fábio Henrique. Quis sair de Sergipe com o compromisso de Edvaldo de apoiar a reeleição de Fábio Henrique. Não conseguiu.

Para o PDT, assim como para todos os partidos políticos, é importante ter deputado federal. Isso mexe positivamente com os fundos partidário e eleitoral, além de melhorar o tempo na televisão.

Edvaldo quer a garantia do partido de que terá legenda para ser candidato a governador nas eleições de 2022.

Para isso, só há uma garantia que lhe satisfaça: assumir integralmente o comando do diretório estadual do partido em Sergipe. Atualmente, o prefeito manda no diretório de Aracaju e Fábio Henrique faz o que quer no diretório estadual.

— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE —

Intermediários de Edvaldo já fizeram chegar a Carlos Lupi que ele precisa do comando integral do diretório estadual. Como não tem deputado federal, oferece a filiação de pretensos candidatos como o ex-governador Jackson Barreto e o deputado estadual Francisco Gualberto. A oferta enche os olhos do partido, mas o “hoje” só dá força a Fábio Henrique, que já é deputado federal.

Se for o escolhido do governador Belivaldo Chagas (PSD) para disputar sua sucessão, em comum acordo com o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), pode ir para o PSD.

O mês-chave é março, quando pretensos candidatos, que não sejam deputados, [poderão mudar de legenda sem risco de perda de mandato.

Também março de 2022, o deputado federal Valdevan Noventa deixará o PL. Não abfe mão de ser candidato a senador.