Governo de Sergipe

Setores do comércio autorizados a reabrirem a partir de segunda-feira(29), quando tem início o Plano de Retomada da Economia em Sergipe, devem seguir, obrigatoriamente, Protocolos Sanitários que propõem combater a disseminação do novo coronavírus. A adesão aos Protocolos Sanitários é premissa para a reabertura de forma segura e gradual.

O governador Belivaldo Chagas enfatizou a necessidade da adesão as recomendações sanitárias. “É necessário que a população sergipana respeite as regras. Os protocolos possibilitam que, se feito ao pé da letra, as pessoas não se contaminem de forma rápida e que não colapse a rede hospitalar”, analisou Belivaldo.

Sérgio Silva / PMA

Os documentos, confeccionados com rigor técnico e científico, serão publicados a através de portaria pela Secretaria de Estado da Saúde. Eles são específicos para cada setor e preveem fiscalização e ações de monitoramento contínuo e será coordenado pelo poder público e os setores produtivos. 

A secretária de Estado da Saúde salienta que as especificidades de cada setor foram elaboradas por profissionais técnicos, com critérios e segurança. “As instruções são seguras e são baseadas na ciência. É importante que elas sejam cumpridas com rigor”, pontuou Mércia Feitosa.

Além das especificações que serão publicadas pela Secretaria de Saúde, os setores da economia, que estiverem autorizados a reabrir, devem seguir também as recomendações gerais já previstas no Plano de Retomada, anunciado no último dia 15 deste mês.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dentre elas, adaptações no atendimento, na realização das atividades e nos serviços prestados; Recomendação de permanência em isolamento social as pessoas pertencentes ao grupo de risco e as que apresentarem sinais ou sintomas de gripe ou resfriado; Além de distanciamento mínimo obrigatório de 1,5m entre as pessoas e entre as estações de trabalho; uso de máscara de proteção fácil obrigatório para todos, seja em locais públicos ou privados; o fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e álcool em gel 70% para cada funcionário; Há ainda medidas de prevenção nos locais de trabalho como a adoção de regimes de escala, revezamento, alteração de jornada e a flexibilização de horários de entrada, saída e almoço; E aplicação contínua de ações da boa prática de higiene pessoal e social.