Danilo Vital - Conjur

Diante da debilidade de saúde do ex-deputado Roberto Jefferson, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a transferência do presídio onde está preso preventivamente para um hospital, onde poderá receber tratamento adequado. O presidente nacional do PTB terá de usar tornozeleira eletrônica.

Ex-deputado Roberto Jefferson — Valter Campanato/Agência Brasil

A ordem foi concedida neste sábado (4/9), quando Alexandre negou mais um pedido de substituição da prisão preventiva. Jefferson foi preso em 13 de agosto, no âmbito de inquérito que investiga uma suposta organização criminosa digital que atua para desestabilizar a democracia divulgando mentiras e atacando ministros do Supremo e as instituições do país.

Na terça-feira (31/8), Alexandre de Moraes negou o primeiro pedido de substituição. O ministro entendeu que a aplicação de medidas cautelares diversas seria insuficiente para interromper a conduta criminosa, inclusive porque Jefferson já havia declarado que não respeitaria a domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica.

— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE —

No presídio, a situação de saúde do ex-deputado piorou, e ele precisou ser internado no hospital penitenciário com quadro de infecção urinária, além de reclamar de dores na lombar. Roberto Jefferson sofre também de problemas cardíacos.

Isso fez o ministro Alexandre de Moras autorizar a saída, mas com monitoramento eletrônico, cuja área de inclusão será estritamente a do Hospital Samaritano Barra, no Rio de Janeiro. Jefferson não poderá receber visitas, à exceção de familiares, nem conceder entrevistas ou utilizar as redes sociais pelas quais praticava os supostos crimes.

Clique aqui para ler a decisão
Petição 9.844