Chesf

Diante da operação de controle de cheia, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) intensificou a atuação de vigilância física para deixar livres as áreas de segurança próximas às barragens do Velho Chico. Foi ampliado o horário das rondas motorizadas próprias, contando com o apoio da Polícia Militar e dos Corpo de Bombeiros. Também foi iniciada rotina de sobrevoos de helicóptero e instaladas mais placas de aviso.

Divulgação

As áreas de segurança são de uso restrito dos profissionais da Chesf e já são sinalizadas para impedir riscos de acidente que podem ser, inclusive, fatais. Nos reservatórios, há bóias sinalizadoras. À jusante (abaixo das barragens), há placas que sinalizam o risco de morte ao adentrar em áreas onde as comportas podem ser abertas a qualquer momento.

As usinas de Paulo Afonso, na Bahia; de Luiz Gonzaga, em Pernambuco; e de Xingó, em Sergipe; estão entre as que tiveram maior reforço na fiscalização por apresentar incidência de banhistas em locais proibidos.

— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE —

No último dia 20, em Paulo Afonso, a Chesf acionou forças de segurança, além de sua equipe de vigilância, para retirar grupos de pessoas que se encontravam em local sinalizado como impróprio para atividades de lazer.

“Temos que prezar pela segurança sempre. Nenhuma atividade de lazer pode ser feita em áreas próximas às hidrelétricas em nenhum momento. O risco fica dobrado agora em que estamos realizando controle de cheia no Rio São Francisco e, com a abertura das comportas, o nível das águas sobe rapidamente nas áreas sinalizadas pela Chesf e pelas prefeituras”, informou o diretor de Operação, João Henrique Franklin.