SMS

Nos últimos três anos e meio, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), tem investido na contratação de profissionais por Processo Seletivo Simplificado (PSS) e também por Chamamento Público. Assim, profissionais de diversas áreas passaram a compor um cadastro reserva e já disponibilizaram toda a documentação, podendo ser convocados a qualquer momento, a depender da necessidade do Município.

De acordo com o assessor jurídico da SMS, Pedro Rochadel, profissionais de todas as categorias da área da Saúde têm sido contratados, conforme a demanda das Unidades. “No entanto, chama a atenção para um fato que pode mudar esse cenário, o número de desistência dos profissionais da área. A rotatividade, por causa de desistências, está sendo grande. Muitos profissionais acabam desistindo, não pelo valor da remuneração, mas por não se encaixarem na realidade do serviço”, explica. 

Enfermeira Natali Emanuela – PMA

HCamp

Principal unidade de referência para tratamento da covid-19 na capital, o Hospital de Campanha Cleovansóstenes Pereira de Aguiar está em funcionamento desde 16 de maio e reúne mais de 460 profissionais, de diversas áreas, os quais asseguram tratamento completo aos acometidos pela doença. São fisioterapeutas (31), psicólogos (6), assistente social (9), nutricionistas (4), farmacêuticos (36), apoio de Rede (58), enfermeiros (80), técnicos em Enfermagem (160), e médicos (76). 

Contratação de médicos Pessoa Física ou Jurídica

De acordo com Pedro, boa parte da carga horária dos médicos ainda precisa ser preenchida, visto que a adesão ainda não foi completa. O vínculo de trabalho pode ser feito através de duas modalidades. “Uma delas é a de Pessoa Jurídica [PJ], em que o médico pode ter uma carga horária através da sua empresa prestadora de serviço de até 36h por semana, que podem ser distribuídas em regimes de plantão 12h, 24h ou 36h”, detalha.

Há também a possibilidade de contratação por Pessoa Física (PF), por meio de um contrato emergencial aprovado nesse contexto de pandemia, que também pode ser de até 36h. “O mesmo médico pode ter até dois contratos, sendo um PJ, de até 36h, e uma Pessoa Física também de até 36h. Ou o médico pode também ter dois contratos de até 36h apenas enquanto Pessoa Física, desde que possua disponibilidade”, ressalta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscrição de Chamamento Público

Publicado no site oficial da Prefeitura, o Edital Nº 04, para médicos generalistas, que desempenharão suas funções nas diversas Redes de Atenção à Saúde da SMS, e o Edital Nº 08, que regulamenta a contratação de profissionais médicos que já possuam experiência em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de, no mínimo, um ano, mediante documento oficial do estabelecimento declarante, e residência concluída em cirurgia geral; anestesiologia; clínica médica; infectologia ou medicina intensiva.

“É importante reforçar que somente serão aceitos os diplomas e certificados expedidos e concluídos até a data da inscrição, além de estar com registro regular no Conselho Regional de Medicina. A contratação é imediata e os profissionais interessados devem efetuar a solicitação de inscrição presencialmente, por meio do protocolo na sede da SMS, localizada na rua Nely Correia de Andrade, 50, bairro Coroa do Meio”, disse.

Renato Moura – PMA

Profissionais do Hcamp

Com oito anos de experiência em Enfermagem, Natali Emanuela revela que o que a motivou a participar do Processo Seletivo Simplificado realizado pela SMS para contratação temporária de profissionais foi o desafio de atuar num cenário desconhecido.  

“Está sendo uma experiência nova. Já passei tanto pela rede hospitalar quanto pela rede primária, e na rede hospitalar eu tive a experiência de atuar em todos os setores, mas aqui é tudo novo, é uma experiência completamente diferente. Não temos tantos conhecimentos sobre a doença. É inevitável não nos envolvermos emocionalmente. É algo que nos dá crescimento profissional, mas o mais importante é que nos ajudará a crescer como pessoa. A gente sai de casa e não sabe o que vai encontrar. Nós, como profissionais, tentamos doar um pouco de carinho para diminuir a ansiedade deles”, disse Natali.

Opinião semelhante tem Renata Moura, que exerce a profissão há cinco anos. “A experiência está sendo ímpar, porque tivemos que nos adaptar com essa doença nova. Está sendo importante esse enriquecimento profissional e vamos levar para o resto da vida. A minha sensação é de dever cumprido, é gratificante trabalhar aqui e ajudar essas pessoas, fazendo com que elas retornem para casa. Mas foi para isso que nos formamos”, afirmou.