Febraban

Uma das datas mais importantes do ano para o segmento varejista em decorrência do aumento expressivo das vendas, o Dia das Mães concentra um volume de vendas significativo e leva milhares de consumidores para as compras em shoppings, no comércio de rua e também nas lojas online. O que para a maioria das pessoas é um momento de presentear uma pessoa querida, para as quadrilhas especializadas em fraudes é a oportunidade perfeita para aplicar golpes.

Reprodução

Os cuidados com o fornecimento de informações pessoais devem ser redobrados nestes períodos, mesmo em situações que não estejam relacionadas diretamente à compra de um produto. Sites e e-mails falsos, ligações e mensagens são algumas das artimanhas usadas pelos golpistas para enganar as pessoas e ter acesso a informações pessoais, como nome completo, CPF, número de cartões de crédito e dados bancários.

Adriano Volpini, diretor do Comitê de Prevenção a Fraudes da Febraban, alerta que ofertas tentadoras escondem, muitas vezes, links maliciosos que capturam dados pessoais resultando em golpes que geram muito prejuízo para o consumidor. 

“Sempre desconfie de promoções com preços muito menores que o valor real do produto. Os criminosos se utilizam da empolgação dos consumidores em fazer um grande negócio para aplicar golpes por meio de anúncios em páginas falsas de empresas de comércio eletrônico, via SMS e WhatsApp e também em posts de redes sociais”, afirma. 

E a partir desse acesso a dados pessoais, um golpe que vem fazendo muitas vítimas é o da falsa central telefônica e do falso funcionário do banco. 

— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE —

Neste golpe, o criminoso entra em contato com a vítima se passando por um falso funcionário do banco ou empresa com a qual ela tem um relacionamento ativo. Informa que sua conta foi invadida, clonada ou outro problema e, a partir daí, solicita os dados pessoais e financeiros da vítima. E até mesmo pede para que ela ligue na central do banco, no número que aparece atrás do seu cartão, mas o fraudador continua na linha para simular o atendimento da central e pedir os dados da sua conta, dos seus cartões e, principalmente, a sua senha quando você a digitar.

Se o consumidor receber esse tipo de contato, ele deve desconfiar na hora. A recomendação é desligar e entrar em contato com a instituição através dos canais oficiais, de preferência usando o celular ou aplicativos móveis, para saber se algo aconteceu mesmo com sua conta. O banco nunca liga para o cliente pedindo senha nem o número do cartão e também nunca liga para pedir para realizar uma transferência ou qualquer tipo de pagamento.

Confira a seguir 10 dicas para fazer compras seguras e não cair em golpes neste Dia das Mães:

  1. Desconfie de promoções com grandes descontos ou ofertas duvidosas;
  2. Dê preferência a sites conhecidos e confira sempre se o endereço do site é o verdadeiro. Para garantir, não clique em links e digite o endereço no navegador;
  3. Sempre use o cartão virtual para realizar compras na internet;
  4. Desconfie de sites que tenham como forma de pagamentos apenas Pix e TEDs;
  5. Nunca clique em links de promoções recebidas por e-mail, SMS, redes sociais e WhatsApp;
  6. Desconfie de mensagens SMS informando transações que você não reconheça e pedindo para ligar para uma Central 0800;
  7. Caso receba uma ligação, desligue e procure o gerente de sua conta imediatamente, de preferência, em outro aparelho de telefone. Lembre-se de que o banco nunca pede seus dados por telefone;
  8. Se for pagar a compra com boleto, confira quem é a empresa beneficiária que aparece no momento do pagamento do boleto, no aplicativo ou site do banco. Se o nome for diferente da marca ou empresa onde a compra foi feita, a transação não deve ser concluída;
  9. Em lojas físicas e shoppings, passe você mesmo o cartão na maquininha em vez de entregá-lo para outra pessoa, sempre confira o valor antes de digitar a senha e proteja o código de segurança;
  10. Ao terminar de realizar uma compra na maquininha, verifique o nome no cartão para ter certeza de que realmente é o seu. Golpistas podem se aproveitar de distrações para trocar o seu cartão.