NE Notícias

Documentos considerados como segredo de Justiça foram obtidos com exclusividade pelo NE Notícias e mostram um negócio milionário cujo principal beneficiário foi o empresário Francisco Sales, proprietário do Hiper Sales, empresa falida e que deve aos seus credores, cerca de R$ 45 milhões. 

A ação foi protocolada em 2011 por Sales, através da FS Participações (empresa da qual é sócio), contra Márcio Dias da Cunha e Andréa Dias da Cunha, empresários e ex-sócios proprietários da rede de supermercado Prezumic, localizada no Rio de Janeiro. 

À época, em encontro com Márcio e um diretor do grupo na China, Sales fez uma proposta de intermediação da venda da Prezumic para o grupo chileno CENCOSUD, que havia adquirido recentemente a rede sergipana de supermercados G Barbosa.

Na ação, Sales informou que acordou com Márcio o pagamento de uma comissão por corretagem imobiliária de 6% do valor total do negócio. A partir da atuação de Francisco Sales, o negócio foi fechado, e a Prezumic foi comprada pelo CENCOSUD, em novembro de 2011, pelo valor de R$ 875 milhões. Sendo que a comissão de 6% seria equivalente a R$ 52,5 milhões. 

No entanto, conforme relato na ação, no dia do fechamento do negócio, um dos diretores da Prezumic informou que os proprietários pagariam a importância de R$ 4 milhões pela venda, e não o que teria sido acordado no primeiro encontro. Alegando receio de perder esse valor, Sales informou na ação que emitiu duas notas fiscais, de R$ 2 milhões cada, para garantir, pelo menos, o recebimento dessa quantia. 

Em 29 de agosto de 2018, após inúmeros recursos de ambas as partes, os ex-proprietários da Prezumica assinaram um acordo no qual se comprometeram em pagar mais R$ 40 milhões pela dívida, sendo R$ 35 milhões para Sales. O valor foi acordado através de uma entrada de 30% e mais seis parcelas iguais, sendo concluído em 2019.  

MANSÃO DE LUXO

Francisco Sales, mesmo com uma dívida de R$ 45 milhões (valor sem correção) e tendo solicitado o benefício de justiça gratuita, por não poder arcar com custas advocatícias, arrematou uma mansão de luxo na Praia do Saco, em Sergipe, pelo valor de 1.386.570,00 (um milhão trezentos e oitenta e seis mil quinhentos e setenta reais), como mostrou o NE. Em 7 de janeiro desse ano, Sales depositou o valor de R$ 415.971,00 referente o sinal, mesmo após o prazo final estabelecido no Edital do leilão. O industrial Frank Vieira, do Grupo Maratá, questiona na Justiça irregularidades existentes no leilão.