MPF Sergipe

Foi deflagrada nas primeiras horas da manhã desta terça-feira, 28, em 11 estados, a segunda etapa da “Operação Flashback”. Coordenada nacionalmente pelo Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público de Alagoas, a operação conta com o engajamento dos Gaecos dos MPs de Sergipe, Pernambuco, Ceará, Bahia, Paraíba, Piauí, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais. 

O intuito é desarticular a nova composição da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) que tem base no Mato Grosso do Sul, de onde saem as ordens de justiçamento para todo Brasil. O PCC é uma facção criminosa que comanda rebeliões, assaltos, sequestros, assassinatos e narcotráfico no país, desde 1993. Com hierarquia própria, os integrantes da facção que estão fora dos presídios obedecem a ordens dos líderes, que estão no Sistema Prisional e financiam o crime organizado.

Operação Flashback em Sergipe – COE / Divulgação

Ao total, foram expedidos 216 mandados, entre eles busca, apreensão e prisão, distribuídos em 71 municípios, localizados em quatro regiões brasileiras. A região Nordeste é a que concentra o maior número de ações da operação, contabilizando sete estados e 179 mandados judiciais expedidos. 

Operação em Sergipe

As ações em Sergipe ocorrem em Aracaju e mais cinco municípios. Foram expedidos, pelo Juízo da Comarca de Carira, 14 mandados de busca, apreensão e prisão.

A operação envolve aproximadamente 60 profissionais da área da Segurança Pública. 

A operação no Estado conta com o apoio da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), por meio da Coordenação Geral do Sistema de Inteligência de Segurança Pública em Sergipe (Cogesisp-SE); da Polícia Civil, por meio do Departamento de Narcóticos do Estado de Sergipe (Denarc) e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core); da Polícia Militar, por meio do Comando de Operações Especiais (COE), da Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga e da Agência Central de Inteligência (ACI); e do Departamento do Sistema Prisional de Sergipe (Desipe).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apoio Nacional

Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Polícia Federal – através da Delegacia de Repressão a Entorpecentes – e Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC).