Aracaju, 19 de Setembro de 2018
Eduardo Amorim apresenta propostas para a Gestão Fiscal do Estado


Nesta segunda-feira, 10, o candidato ao Governo do Estado, Eduardo Amorim (PSDB), compareceu ao Sindicato do Fisco do Estado de Sergipe (Sindifisco) para participar de um debate com os auditores fiscais. Na ocasião, o candidato apresentou suas propostas para as finanças públicas e gestão fiscal. Eduardo salientou que seu plano de governo está aberto a sugestões dos profissionais da área.

Visando o equilíbrio fiscal, Eduardo Amorim pretende fazer uma grande reorganização administrativa do governo estadual, com a diminuição da máquina administrativa. Entre as medidas, a redução de custos tanto de custeio quanto de pessoal, com a diminuição dos cargos comissionados. “Um modelo de gestão que prime pelo planejamento e pela eficácia, obtendo mais e melhores resultados com menos custos, incorporando novas tecnologias e sendo criativos nas soluções dos problemas”, destacou.

O candidato disse que o Estado precisa aumentar a arrecadação de recursos, porém sem aumentar impostos. Segundo ele, o caminho para alcançar objetivo passa pela reestruturação da Secretaria da Fazenda (Sefaz), com investimentos em equipamentos, inteligência modernização dos processos, nos servidores, além do combate firme à sonegação fiscal.

“A Sefaz terá como foco de trabalho a fiscalização, tributação e o aumento de arrecadação. Sergipe precisa sair da dependência do FPE e ter a capacidade de andar com suas receitas próprias, equilibrando suas contas e voltando a fazer investimentos”, detalhou.

Qualificação e Transparência

Aliado a uma maior e melhor estrutura de arrecadação, o plano de governo de prevê a qualificação dos gastos públicos. Para isso, Eduardo afirmou que vai implantar um grupo especializado para monitorar, avaliar e controlar todos os gastos do governo: o Conselho de Custos. “Será vinculado ao gabinete do governador que, junto com o Conselho, avaliará todas as solicitações de compras das secretarias e órgãos, além de monitorar a evolução das despesas públicas”, explicou.

Aumentar a transparência da gestão pública também está entre os pilares que sustentam a política fiscal sugerida pelo candidato. “A transparência e a prestação de contas de todos os gastos e ações serão outra marca do nosso governo. Com o Portal do Cidadão, de fácil acesso e compreensão, a população saberá quanto se arrecadou, quanto se gastou e em que se gastou o dinheiro arrecadado. Não admitiremos sonegação nem outras improbidades administrativas”, ressaltou.

Definir Prioridades

Na atual crise fiscal em que o estado se encontra, é necessário também que o governo estadual defina prioridades. “Se o dinheiro é pouco, ele deve ser utilizado em áreas prioritárias e estratégicas. Nossas prioridades serão as áreas sociais, investindo o que se arrecadou em Saúde, Segurança e Educação, trazendo qualidade de vida para nossa população. De forma imediata regularizar o pagamento dos servidores e aposentados”, assegurou Eduardo.

Gerar Emprego

Outra meta do candidato a governador do Estado é criar um grande programa de desenvolvimento econômico e de geração de emprego, atraindo novas indústrias e fortalecendo as que já estão atuando. Nesta conta, todos ganham. O trabalhador que terá um emprego formal, o empreendedor que terá condições favoráveis para produzir e o Estado que arrecadará mais”, pontua Eduardo. 

Ainda nesta equação, acrescenta-se o incentivo às potencialidades de cada região do território sergipano. “Planejar e fomentar o desenvolvimento econômico regionalizado, conforme a vocação e geografia de cada região. Fortalecendo a agricultura, tanto familiar quanto a de médio e grande porte, e a criação de micro e pequenas empresas”, frisou.  

“Para isso, vamos fortalecer o Banese para disponibilizar crédito ao microempreendedor individual, financiando a compra de equipamentos e de matéria prima, e incentivando o pequeno e médio empresário na modernização e mudança do seu maquinário e de sua tecnologia”, completou.

Descentralização

A descentralização das ações do governo, com o fortalecimento das ações regionais, também será uma marca do governo de Eduardo Amorim. “Os municípios serão nossos parceiros prioritários. Estabeleceremos com cada um, e em conjunto na região, uma relação de trabalho, de parceria e de complementação das ações que serão desenvolvidas. Com isso, ganharemos em efetividade e em otimização dos custos”, finalizou o candidato.

Ainda no Sindifisco, Eduardo Amorim se reuniu com a direção da entidade e tomou conhecimento da possibilidade de fechamento do Posto Fiscal da Sefaz de Propriá após a conclusão da duplicação da BR-101. “Vou lutar em Brasília, junto ao DNIT, para que esse importante posto de arrecadação continue funcionando”, garantiu Eduardo.

Saiba mais
Manifeste
Comunicar erro
Utilize este espaço para comunicar erros encontrados
nas matérias publicadas pelo NE Notícias.


limite de caracteres:
Enviar




limite de caracteres:
Fale com o NE
Este é o seu contato direto com o NE. Preencha o
formulário e envie o seu recado.


digite o código abaixo e clique em enviar
    
NE no Facebook      NE no Facebook
NE no Twitter      NE no Twitter
Desenvolvimento: Goweb Tecnologia
Projeto Gráfico NE Notícias - Leia hoje as notícias de amanhã Todos os direitos reservados