Aracaju, 19 de Setembro de 2018
Sergipe conhece planejamento da Semarh para finalizar os lixões


O fechamento de todos os lixões a céu aberto em Alagoas se tornou referência para os demais estados do Nordeste. Um deles, o de Sergipe, mobilizou secretários de Meio Ambiente e um gestor municipal para conhecer a forma como a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) atuou para colocar em prática a política de resíduos e, junto aos municípios, finalizar os vazadouros públicos.

Liderando o ranking Norte-Nordeste, Alagoas está primeiro lugar ao encerrar 100% dos lixões. Em âmbito nacional, o Estado foi o terceiro a se adequar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) após os fechamentos em Santa Catarina e Rio de Janeiro.

O secretário Alexandre Ayres recebeu a comitiva de Sergipe na sede da Semarh, em Maceió, e junto com a gerente de Resíduos Sólidos, Elaine Mello, apresentou todo o planejamento colocado em prática em menos de quatro anos na atual gestão do Governo de Alagoas.

“O Nordeste e principalmente Alagoas sempre teve os piores índices em todos os aspectos. Com organização e diálogo, conseguimos mudar a visão do meio ambiente em Alagoas e colocamos o Estado como referência nacional”, afirma Alexandre Ayres.

O titular da Semarh ressaltou aos secretários de Sergipe a importância de os municípios serem norteados no Estado por uma lei que verse sobre a política de resíduos, além de entregar às gestões municipais os Planos Intermunicipais de Resíduos Sólidos, documentos norteadores para finalizar os lixões, destinar adequadamente a produção de resíduos, bem como implantar a coleta seletiva.

Outro destaque pontuado pelo secretário Alexandre Ayres tratou sobre o recebimento de recursos federais a partir do fechamento dos lixões. Segundo Alexandre, os Planos Intermunicipais garantem às prefeituras que verbas e apoios federais sejam destinados com maior facilidade aos municípios.

Após conhecer o planejamento da Semarh, a comitiva seguiu para a Central de Tratamento de Resíduos Sólidos, na cidade do Pilar. Lá, foi apresentado o funcionamento da CTR e discutidas também outras formas de destinação do resíduo, como a coleta seletiva.

A gerente de resíduos sólidos da Semarh, Elaine Mello, explica que Alagoas investe em educação ambiental e cerca de 80 cidades foram capacitadas para a coleta seletiva. “O fortalecimento de cooperativas de catadores de reciclados garante emprego e renda e deixa para os aterros sanitários apenas o rejeito”, esclarece.

Estiveram presentes a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Sergipe, Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (AGRESE), Consórcio Agreste, Consórcio de Resíduos Sólidos da Grande Aracaju, Prefeitura de Propriá e Secretaria de Infraestrutura de Propriá.

Saiba mais
Manifeste
Comunicar erro
Utilize este espaço para comunicar erros encontrados
nas matérias publicadas pelo NE Notícias.


limite de caracteres:
Enviar




limite de caracteres:
Fale com o NE
Este é o seu contato direto com o NE. Preencha o
formulário e envie o seu recado.


digite o código abaixo e clique em enviar
    
NE no Facebook      NE no Facebook
NE no Twitter      NE no Twitter
Desenvolvimento: Goweb Tecnologia
Projeto Gráfico NE Notícias - Leia hoje as notícias de amanhã Todos os direitos reservados